quinta-feira, 26 de julho de 2007

Songs of mass destruction



Este é único motivo que me faz querer que o tempo passe depressa. O quarto álbum a solo da ex-vocalista dos Eurythmics, Annie Lennox, está previsto para Outubro, no Reino Unido. Não sei quando chegará a Portugal mas seria das primeiras da fila se houvesse uma.
Adquiri o primeiro álbum dos Eurythmics quando tinha 12 anos (“Revenge”) e desde aí, já lá vão 22 anos, sou fã incondicional. E digo incondicional porque o que quer que os Eurythmics ou Annie Lennox façam eu gosto antes mesmo de ouvir. Tenho toda a discografia à excepção de “1984”. Imperdoável, é verdade, mas é lacuna que espero resolver brevemente.
Este novo trabalho da “diva” inclui uma faixa (“Sing”, uma espécie de hino feminista) que conta com a contribuição de 23 mulheres do mundo da música como Melissa Etheridge, Madonna, Sarah McLachlan, Celine Dion, Stacy Ferguson, Faith Hill, Pink, Dido, Gladys Knight, kd lang, Bonnie Raitt, Shakira, Joss Stone e KT Tunstall. São muito boas notícias.

3 comentários:

silvia disse...

olá!
vim aqui ter depois de pesquisar "songs of mass destruction" no google...
Eu também sou "fanática". Sei o que isso é. Aquelas letras que ninguém no mundo podia escrever/dizer de outra maneira.. Fiquei com a ideia que vi na Amazon, que já se pode encomendar o "Songs..."
Para o 1984 se não conseguir de outra forma, tente a CDGO na internet, (loja do porto especilizada em entregas via net), para obter raridades. Pode sempre entrar em contacto com eles que eles só se não puderem é que não arranjam. São uns carolas. Como nós!
Ah, e boa audição!

nitpicker disse...

Silvia, muito obrigada por ter passado aqui pelo estaminé e sobretudo pela informação que me deixa. Também já vi na Amazon o vídeo de “Dark road”, canção que ainda não conhecia. Só tinha ouvido ainda “Sing”. E é sempre bom encontrar alguém que partilha este meu encanto “Lennoxiano” coisa que, devo dizer, não tenho encontrado com facilidade. Nem imagina como é ter 12 anos em 1985, dizer que somos fãs de Eurythmics e recebermos em troca um “Quem???”. E ver Annie Lennox ao vivo constaria da minha lista de “ One Hundred Things to do Before I die” se eu tivesse uma. Apareça sempre e que a boa música a acompanhe.

Anónimo disse...

Obrigado por Blog intiresny